Governadora promete que salários serão pagos dentro do mês, mas não tem previsão para salários atrasados

Fátima explicou como serão pagos os meses de janeiro e fevereiro, enquanto o governo busca recursos extras do governo federal e adiantamento dos royalties do petróleo para quitar os débitos deixados por Robinson Farias.

349

Por Caicó na Rota da Notícia/Fonte e foto: Tribuna do Norte

Após vários estudos e busca para solucionar o problema da falta de dinheiro nos cofres do Estado, a governadora do RN, Fátima Bezerra (PT), juntamente com sua equipe divulfou nesta segunda feira (07) que pagará os salários do meses de janeiro e fevereiro dentro de cada mês e de forma parcelada. Sendo que no dia 10 será pago 30% do salário do mês de janeiro e o restante que é 70% no final do mês.

Fátima lembrou que recebeu o governo com apenas 3 milhões em caixa e uma dívida de 1 bilhão de reais com os servidores do Estado. Dívida esta referente a parte do 13° de 2017 e do salário de novembro, além da folha integral do mês de dezembro e o 13° de 2018.

Segundo a governadora, o executivo trabalha para quitar estas dívidas com prioridade e busca recursos extras principalmente vindos do Governo Federal. A antecipação dos royalties da extração do petróleo é uma das alternativas contudo, Fátima disse que não tem ainda como dar uma data certa para o pagamento.

Todo esforço foi feito por parte da nossa equipe e a prioridade é dar uma resposta aos servidores. A proposta que estamos apresentando é pautada na previsibilidade e isonomia. Previsibilidade para que os servidores saibam que os dias em que receberão, e isonomia porque será dado um tratamento ao conjunto de servidores“, garantiu a governadora.

Para tentar explicar a situação do servidor do Estado do RN, tomemos como exemplo se um funcionário ganha 3 mil reais por mês. Como hoje é dia 07, ele receberá daqui, a três dias, 900 reais (30%) e o restante do salário de janeiro, 2.100 reais (70%), no final do mês, dia 31. Com isto o estatutário terá que priorizar o que pagar com o dinheiro que sobrar após o banco descontar os empréstimos (feitos pela maioria), como sua feira e ficando ainda contas como água, luz, botijão de gás, leite, telefone, internet, cartão de crédito, combustível e o restante de seus credores.

As contas do mês passado se acumularão com as contas de janeiro até o final do mês e o jogo de cintura para administrar o problema será inevitável até a equipe do governo resolver o problema.