PB terá concurso de mil vagas para PM, enquanto que, o RN teve concurso suspenso

Empresa escolhida, 'sem' licitação, pelo governo do RN estaria sendo processada em 6 Estados

447

Estado da Paraíba:

O governador Ricardo Coutinho declarou em seu programa semanal semanal na rádio que até o próximo dia 23 de Março será publicado o edital do concurso público com 1.000 vagas para Polícia Militar.

Assim que terminar a seleção darei posse aos 500 primeiros que começarão a fazer atividades que sejam compatíveis com alunos do curso de formação de soldados“, afirmou o governador da PB.

Estado do Rio Grande do Norte:

Já no Estado do Rio Grande do Norte a situação é outra. O concurso foi suspenso por determinação judicial devido ao mandado de segurança impetrado pelo Ministério Público devido irregularidades no Edital frente a nova lei de ingresso para polícia militar do Rio Grande do Norte que entrará em vigor em 04 de Abril. Ela prediz que, entre as exigências já existente para investidura no cargo o candidato terá que ter concluôdo o nível superior na categoria de licenciatura ou bacharelado, habilitação na categoria no mínimo “B”, além de ter que passar por exame Psicológico. Estas exigências não estavam no primeiro Edital que terá que ser readequado.

A Associação de Praças da Policia Militar do RN, através dos advogados que representam a categoria, tambem solicitou a suspensão do concurso ao Ministério Público questionando a idoinidade da empresa escolhida para realizar a primeira etapa do concurso que é a Prova Objetiva.

Foi solicitado uma investigação na empresa responsável, uma vez que foi descoberto que o Instituto Brasileiro de Apoio ao Desenvolvimento Executivo – Ibade – além de estar a ‘somente’ dois anos no mercado, responde a processos em vários estados onde prestou o mesmo serviço, como no Pará, Acre, Rondônia, Sergipe, Goiás e Mato Grosso do Sul.

Outro questionamento feito pela associação dos praças é que o Ibade foi criado com extensão de outra empresa, a Funcab. De acordo com o documento protocolado Ministério Público, o diretor proprietário desta segunda empresa, Silva Eduardo, responde a vários procedimentos investigatórios.

O valor pago pelo governo do estado para realização do concurso também alvo de questionamento pela Associação. São 1,4 milhão de reais, com “dispensa de licitação“, para que seja realizado apenas uma prova, o restante das etapas do concurso serão feitas pela própria Polícia Militar.

Sem sombras de dúvidas, alguma coisa anda MUITO errada no RN!!!