Bolsonaro diz em entrevista que, por ele, não haveria carnaval em 2022

O presidente afirmou ter sido contra a realização das festas já em 2020. "Em fevereiro do ano passado, eu declarei emergência e os governadores e prefeitos ignoraram, fizeram Carnaval no Brasil”, disse ele.

0
216

Por mim, não teria Carnaval, mas tem um detalhe: quem decide não sou eu. Segundo o Supremo Tribunal Federal (STF), quem decide são os governadores e prefeitos”, disse Bolsonaro, em entrevista à Rádio Sociedade da Bahia.

Não quero aprofundar nessa que poderia ser uma nova polêmica. Em fevereiro do ano passado, ainda estava engatinhando a questão da pandemia, pouco se sabia, praticamente não tinha óbito no Brasil, eu declarei emergência e os governadores e prefeitos ignoraram, fizeram Carnaval no Brasil”, prosseguiu.

A situação de emergência foi declarada em 6 de fevereiro de 2020, e as festividades de Carnaval ocorreram de 21 a 29 de fevereiro. No entanto, o decreto que reconhece a situação de calamidade pública no país só foi publicado em 18 de março.

O mandatário voltou a se isentar da responsabilidade pelas mortes decorrentes da Covid-19.

Não tenho culpa disso. Não estou me esquivando nem culpando outras pessoas. É uma realidade, é uma verdade. Todo o trabalho de combate à pandemia coube aos prefeitos e governadores. Para mim, o que coube: mandar recursos para estados e municípios. No total, gastamos no ano passado R$ 700 bilhões”, afirmou o chefe do Executivo federal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui