MPCE solicita ao Sindicato dos Médicos detalhes sobre denúncias de supostas irregularidades em atestado de óbito

Médicos estariam sendo pressionados a atestarem o resultado dos óbitos como “suspeita de Covid-19”, sem a comprovação por meio de testes.

0
315

O Ministério Público do Ceará (MPCE), por meio das 137ª e 138ª Promotorias de Justiça de Fortaleza com atuação na Defesa da Saúde Pública, solicitou, nesta quinta-feira (14/05), que o Sindicato dos Médicos informe, em até cinco dias úteis, o nome e contato dos profissionais com informações acerca de supostas irregularidades em atestados de óbitos relacionados à pandemia.

O Sindicato enviou ao MP um ofício na última quarta-feira (13) solicitando um canal seguro para recebimento de denúncias especial para médicos que estariam sendo pressionados a atestarem o resultado dos óbitos como “suspeita de Covid-19”, sem a comprovação por meio de testes. Os profissionais teriam “forte receio de sofrerem perseguições e represálias”.

Com isso, foram repassados ao órgão representativo da categoria os canais de comunicação do MPCE que podem ser utilizados de forma sigilosa, desde que solicitado pelo denunciante, que são os e-mails [email protected], criado exclusivamente para receber denúncias relacionadas à pandemia; e ainda o e-mail das Promotorias de Saúde Pública: [email protected] Também é possível realizar denúncias através do telefone da Promotoria: (85) 3252-3092, que funciona de segunda à sexta de 8h às 14h.

O Sindicato deve encaminhar também provas que porventura tenha recebido, como fotos, documentos, vídeos, depoimentos, dentre outros, que comprovem a veracidade dos fatos apresentados, para fins de instrução do procedimento.

Para que haja investigação desses fatos, é necessário que sejam fornecidas algumas provas para embasar a instauração de inquérito civil, como oitiva dos denunciantes em caráter sigiloso”, consta no despacho enviado ao órgão classista. O Ministério Público do Ceará garante o sigilo de todo cidadão que deseja denunciar irregularidades, desde que o anonimato seja requisitado pela fonte.

O Ministério Público solicitou, ainda, que as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde se manifestem, em até cinco dias, acerca das denúncias; e ao Conselho Regional de Medicina (Cremec) que informem se estão recebendo denúncias semelhantes e, em caso afirmativo, encaminhem as provas recebidas às Promotorias de Justiça da Saúde para averiguação dos fatos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui