Operação “Coiteiro” deu combate ao tráfico de drogas e a formação de milícia armada

Equipes da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Militar (como Bope, Noe e equipes com cães farejadores) e ainda 14 promotores de Justiça, no total de 250 profissionais atuaram na operação.

143

Ao longo da manhã de hoje equipes da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar, sob a coordenação  do Ministério Público Estadual, cumpriram mandados de prisão, de busca e apreensão e de condução coercitiva para desarticular uma organização criminosa atuante na região do Seridó do Rio Grande do Norte.

Os crimes investigados são: Constituição de Milicia Privada, Homicídios, Tortura, Tráfico de Drogas e Associação para tal, Corrupção Ativa e Passiva, entre outros. Os mandados foram compridos nas cidades de Caicó, Jucurutu, Florânia, Tenente Laurentino Cruz, Jardim do Seridó e Jardim de Piranhas.

Mulher presa em Jardim do Seridó

Ao todo 16 mandados de prisão, 65 de busca e apreensão e 04 de condução coercitiva fora expedidos para serem cumpridos em 6 municípios da região, incluindo propriedades rurais. Equipes do Bope e do Noe com especialização em operação na caatinga participam das ações e também equipes com cães farejadores. Participaram ainda 14 promotores de Justiça, no total de 250 profissionais atuando na operação.

De acordo com as investigações, os irmãos Henrique José Torres Lopes, conhecido como “Henrique de Barra” e Jorge Eduardo Lopes, o “Jorge de Barra”, seriam as lideranças do grupo, utilizando propriedades rurais para proteger foragidos da Justiça, dando apoio a autores de crimes, prática reiterada que ia desde esconderijo a contratação de advogados. Ambos são empresários do ramo de combustíveis e agropecuaristas na região.

Foram identificados dentre os foragidos que estiveram nas propriedades as pessoas de Fernando Pereira Soares, preso recentemente e investigado por 4 homicídios. Carlos Wiliano da Silva, conhecido com “Sula”, que tem mandado de prisão por crimes cometidos em Jardim de Piranhas; Messias Alves Dantas, condenado por crimes no estado da Paraíba e, mais recentemente, o grupo teria dado apoio para a fuga de Bartogaleno Alves Saldanha, foragido de Alcaçuz, condenado por vários crimes na região Oeste do RN.

Issac Soares de oliveira Souza (Issac Torres) morto em maio de 2013

O empresário “Henrique de Barra”, já responde por vários homicídios na Vara Criminal da Comarca de Macaíba/RN, por fato ocorrido no ano de 2005, quando teria assassinado Robson Maurício Oliveira, tendo permanecido foragido, conseguindo um habeas corpus  no Supremo Tribunal Federal para responder em liberdade. Já, “Jorge de Barra”, é investigado pelo homicídio do caicoense Isaac Soares de Oliveira Torres (neto do saudodo Manoel Torres), fato ocorrido no dia 25 de maio de 2013, em propriedade na zona rural da cidade de São Fernando/RN.

O nome “Operação Coiteiro”

O nome de batismo da Operação, remete a uma expressão de uso tipicamente sertanejo, referente à conduta de “dar coito”, que significa a ação de articular esconderijo, dar apoio logístico (alimentação, dormida e deslocamento), financeiro, lobby, proteger, etc, a foragidos da Justiça, ou a pessoas respondendo a processos e com histórico de valentia, apto a causar temor a populares ou a atividades criminosas em geral.

Em troca, o “coiteiro” tem a seu dispor, em suas propriedades rurais, um grupo de homens temidos e dispostos, advindos dessa relação em espécie de comensalismo, tirando o “coiteiro” grande proveito, por imporem tais “colaboradores” medo, verdadeiro pavor efetivo ou potencial, a populares em geral e particularmente a devedores de transações privadas, bem como a possíveis autores de furtos em suas propriedades e até mesmo aos próprios trabalhadores de tais fazendas.

Tiveram novas prisões decretadas, os já detentos, Robson Fabiano Lopes de Araújo e Renato Oliveira dos Santos, os quais colaboraram com os ramos do grupo por meio de telefones celulares a que tinham acesso dentro dos presídios. O juiz de Caicó, determinou o recolhimento de todos os presos na Operação no Presídio de Nova Cruz/RN, onde a localização da unidade em área rural, não há cobertura de celulares.

Lideranças do tráfico são presas

Na base da organização criminosa há intrínseca relação entre a pistolagem e o tráfico de drogas, dentre outros crimes, ramificando o tráfico a partir de Caicó para outras cidades do Seridó.

Em Caicó, a Operação prendeu Aldson Vieira de Souza, conhecido como “Cascão” e Dárlison Lima Queiroz, conhecido como “Macuzinho”, que de acordo com as investigações seriam lideranças do tráfico nos bairros Walfredo Gurgel e Paraíba.

Prisão de “Cascão” e “Mancuzinho” em Caicó

Na cidade de Florânia foram presas Klébia Monteiro Anulino e Joedson Silva do Nascimento e, em Jardim do Seridó foi presa Regina das Virgens dos Santos e Fernando Cloves de Macedo.

Diligências resultam em 13 flagrantes

Em dados parciais, no curso da operação foram realizadas 13 prisões em flagrante, sendo 02 por tráfico de drogas e 11 prisões por posse ilegal de armas de fogo.

Por Sidney Silva via Caicó na Rota da Notícia