Polícia Militar liberta vítima que estava sendo mantida em cárcere privado em Caicó a 22 dias

A família veio do estado do Ceará para tentar libertar a filha que pediu socorro

3253

Por Caicó na Rota da Notícia

MARIA JOSÉ, de 32 anos residente em UMIRIM, cidade do interior do Ceará, conheceu ADEILTON BEZERRA MOURA mais conhecido por CARA QUEIMADA, pela internet e contou que estava sendo mantida presa, e estorquida pelo caicoense há 22 dias

Na tarde deste sábado (18) policiais militares estavam trabalhando na zona Oeste, quando foram procurados no Posto Caicó (antigo Posto Galileu) pelas irmãs e pelo pai da vítima que chegaram a Caicó por volta das 16hs de hoje.

Segundo a família que a procurava, ela estava sendo mantida em cárcere privado em uma rua do bairro Barra Nova, zona Oeste de Caicó, e estavam com o endereço que havia sido repassado pela vitima.

Ao chegar no local informado, uma casa na travessa Rubens Marim n° 465 no bairro Barra Nova, a denúncia foi confirmada. Ao ver os policiais, a vítima ficou muito nervosa e saiu correndo no momento em que abriu a porta para que os policiais entrassem na residência, momento em que, foi dada voz de prisão para o acusado que no momento estava no banho e negou tudo.

Ele foi conduzido até a 3a Delegacia Regional de Polícia Civil, onde a MARIA JOSÉ contou que conheceu ADEILSON pelo Facebook. Ele fretou um táxi e foi até a cidade dela, no estado do Ceará para conhecê -la. Lá ele apresentou – se a família como sendo um pecuarista, dono de um sítio onde criava vacas e ganhava 5 mil reais por mês.

A família ficou admirada quando ela resolveu ir embora de casa para morar com ele em Caicó.

O acusado obrigou ela a pedir suas contas, fez com que o antigo para patrão depositar se o dinheiro em uma conta e sacou a quantia de quase R$ 2.000,00 dela. Desde montante os policiais encontraram apenas cerca de R$ 400,00.

Ela, que vinha se alimentando mal, contou que certo dia estava com fome e pegou 20 reais de seu dinheiro para se alimentar e ele pegou uma faca e ameaçou matá – la. A familia contou que ela excluiu o seu perfil nas redes sociais, certamente sobre pressão dele, que passou a mantê – la em cárcere privado e sempre fazendo ameaças.