Policiais militares flagram menino de 6 anos procurando material escolar no lixo

0
1928

Na cidade de Rio Verde em Goiás (214 km de Goiânia) os policiais militares Denilton e Aires estavam em patrulhamento de rotina quando se depararam com um menino e uma velha senhora em meio ao lixo procurando algo.

Quando os policiais se aproximaram para ver o que eles estavam fazendo o menino mostrou uma mochila toda rasgada encontrada no lixo e com orgulho falou aos policiais: “Olha agora eu tenho uma mochila pra ir pra escola!”. A avó que estava com o menino disse aos PMs que ele não tinha material escolar, apenas um apontador e eles estavam procurando mais materiais escolar no lixo.

Com lágrimas nos olhos os policiais deixaram o local e foram em vários comerciantes e contaram o que haviam presenciado. Logo um grande movimento foi realizado para ajudar o garoto entre PMs e comerciantes que doaram tudo a criança de apenas 06 anos. Os policiais então voltaram a casa do menino, uma humilde casa, onde só moram ele e a avó que o cria desde bebezinho.

Quando a viatura parou na porta e os PMs desceram com as enormes sacolas cheia de materiais de escola a avó ajoelhou e olhou para céu agradecendo a Deus e pela vida daqueles PMs. O menino então pulou nos braços de uma dos PMs chorando muito, mas logo a alegria contagiou e ele transformou suas lágrimas em risos. Os policiais ainda deram uma réplica de viatura da PM ao guerreiro mirim.

Policiais militares e comerciantes ajudam menino que procurava material escolar no lixo
Policiais militares e comerciantes ajudam menino que procurava material escolar no lixo para poder estudar

O garoto ganhou tênis, chinelos, cadernos, mochila, lápis, borracha e todo material que precisava para começar as aulas. O nome dele? É um pequeno anjo chamado Gabriel e tem 06 anos.

Esse fato aconteceu nesta última segunda feira (16) na cidade de Rio Verde em Goiás. Essa é a verdadeira Polícia Militar que eu sirvo e esse é o nosso verdadeiro espírito. Parabens aos nobres PMs!

Por Rede Mais Notícias via CRN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui