Se esse líquido vermelho que tem em toda carne não é sangue, o que é?

Certamente você já comeu um pedaço de carne cheio de um líquido vermelho, e as pessoas falam que é sangue.

0
1821

Se você achou que esse tal líquido era sangue, saiba que você está errado. Na verdade, não é diferente do que acontece com outras carnes, como por exemplo o salmão, que solta uma “gosma” branca que é uma proteína solúvel.

Aqueles que vão a uma churrascaria e veem um pedaço de picanha com esse líquido dizem coisas como: “está no ponto de cru” ou “odeio carne com sangue”. Mas, na verdade, aquilo não é sangue. Se o sangue das vacas nem chega no açougue, por que chegaria ao seu prato?

Quando o animal é morto, o sangue é escoado, e sobra apenas pouco sangue no coração e pulmões – partes que poucas pessoas comem. Mas qual a explicação para esse líquido? Aquele líquido na verdade vem da mioglobina, uma proteína conjugada encontrada nos músculos.

Em entrevista, a bióloga Leonizia Valdeci de Melo, especialista no gerenciamento socioambiental costeiro explicou: “Filé mignon, contrafilé, alcatra, picanha, fraldinha, tudo isto é músculo. Músculo não tem hemoglobina, mas tem mioglobina, que também dá a coloração vermelha à carne. A hemoglobina é uma proteína presente no sangue e que define sua cor, contém ferro e leva do pulmão o oxigênio necessário aos movimentos para os tecidos musculares. Nos músculos, também há outra proteína, chamada mioglobina, que ajuda a manter o oxigênio, sendo esta proteína responsável pela cor vermelha da carne.”

Mas então, por que quando se como carne de porco essa mesma situação não acontece?

Isso acontece por que o porco tem menos mioglobina do que o boi, o que consequentemente faz com que a carne do porco tenha uma coloração mais rosada.

Já no caso dos peixes, a coloração branca da carne é causada por haver menos mioglobina ainda. A mioglobina é uma proteína globular dos vertebrados, já no ser humano é uma das proteínas mais simplificadas que transporta oxigênio molecular, e por isso é o principal transportador intracelular de oxigênio nos tecidos musculares. Além disso, a mioglobina também estoca oxigênio nos músculos.

Para finalizar, Leonizia ainda explica:  “Os animais que têm uma maior movimentação dos seus músculos tendem a ter a carne mais vermelha, portanto, armazenam uma maior quantidade de oxigênio, enquanto os animais mais lentos armazenam uma menor quantidade, apresentando o aspecto da carne mais rosada, como é o caso dos suínos (porco).

Essa atividade muscular dos animais varia de espécie para espécie. Os peixes possuem ainda menos mioglobina, por isso, a carne é branca. Devido à grande movimentação do atum, sua carne é avermelhada.

Nas aves, já ocorre uma variação da cor da carne em algumas partes: o peito é branco, mas, na parte de coxas, pernas e pescoço, a carne se mostra mais escura, ou seja, estruturas de maior movimentação do corpo do animal.”

Por Jornal Ciência via Caicó na Rota da Notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui