Coronel linha dura da PMPI é exonerado do 4° Batalhão por não se curvar a bandidagem

"Eu prefiro a morte a me curvar para bandidagem", desabafa o coronel

0
796

O comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar em Picos/PI, coronel Edwaldo Viana, foi exonerado da função. A novidade foi anunciada pelo próprio oficial em um longo desabafo compartilhado no grupo de Relações Públicas do comando nesta terça-feira (7).

No áudio de 7 minutos de duração, o coronel disse que foi exonerado porque “falou a verdade” e afirma, ainda, que forças políticas tiveram influência direta na exoneração. Edwaldo sugere que a decisão foi uma tentativa de silenciá-lo, mas defende que o “tiro saiu pela culatra” e agora está livre para falar o que quiser.

Edwaldo Viana é exonerado cinco dias após um áudio em que ele afirmava que “bandido tem que descer pelas cordas” ser divulgado. Na mensagem, o então comandante se referia aos suspeitos de assassinar o empresário Edilson Oliveira, de 59 anos, na cidade de Picos.

No áudio divulgado hoje, o coronel fala que está “muito chateado” com a exoneração, mas demonstra não se arrepender do que falou sobre criminosos. O coronel destaca que prefere a morte a se curvar “para bandidagem“.

Sei que o comandante geral está me tirando com o coração ferido. Ele sabe da tradição que é Picos. Sabe se for um comandante frouxo a turma passa por cima e toma de conta. A situação geográfica deixa Picos totalmente aberta para bandidagem. É por isso que eu nunca me curvei para bandidagem. Nunca vou me curvar. Eu prefiro a morte a me curvar para bandidagem”, desabafa o coronel.

Viana afirma que foi convidado para assumir um “grande comando na capital”, mas recusou o convite.

“Não vou aceitar comando em lugar nenhum porque fizeram isso para me silenciar, mas o tiro saiu pela culatra porque agora que vou falar, agora estou livre para falar o que quiser“, disse o coronel que pretende tirar licença seguida de férias.

“Não esperava isso, entrego de cabeça erguida. Com a certeza que fiz o possível. Não fiz o ideal, mas fiz o possível”, afirma. A passagem de comando ocorrerá na próxima sexta-feira (10), às 9h no 4º BPM.

Tem uma bandidagenzinha lá, traficante, ameaçando meus policiais. Quando eu digo que temos 2.400 homens é porque, cada homem meu vale por 10. Se matar um policial meu, morre 10 bandidos.”, disse ele em vídeo.

Por Riachuello em Ação via CRN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui