Sem armas, sem viaturas adequadas, 3° menor salário do país; como a polícia do RN Combate o crime?

0
1849

No ano de 2016 o ÓBVIO – Observatório da Violência Letal Internacional – registrou a morte de 4 PMs no Rio Grande do Norte. Este ano 2017, com apenas 6 meses, 12 Soldados foram assassinados.

A escalada da violência no Estado além de sercear a liberdade e o bem-estar do cidadão comum traz para a polícia do RN baixas crescentes na corporação com aumento de mortes de policiais no comprimento do dever tentando garantir a segurança dos seus habitantes ou mesmo pelo simples fato de serem reconhecidos pelos bandidos enquanto policiais militares.

Usando armas obsoletas e viaturas velhas ou inadequadas para o exercício policial militar (como é o caso de carros populares sem cadeia) eles pagam com a vida ao enfrentarem bandidos fortemente armados que não hesitam em matá-los ou a população desarmada e sem defesa.

Como se não bastasse, a sobrevivência do militar e de sua família é ameaçada pelo baixo salário – 3° menor das PMs do país – pago com atraso pelo governo do RN, trazendo uma série de transtornos e consequente atraso no pagamento de suas dívidas. O que vemos hoje no RN é muito diferente das promessas de campanha quando priorizava a segurança do cidadão assegurando novos equipamentos e melhores salários para a PM.

O policial militar do RN está em 3° lugar no ranking de menor salário do país ( Fonte: G1)
O policial militar do RN está em 3° lugar no ranking de menor salário do país ( Fonte: G1)

Governador no terceiro ano exercício, Robson Faria, parece não ouvir o clamor da sociedade exigindo segurança. Natal é considerada a capital mais violenta do país com inúmeros assaltos roubos de veículos e alta taxa de homicídios diários. No interior só em 2016 ocorreram mais de 60 assaltos a bancos e agências de Correios bem equipado o banditismo domina o RN a PM faz o que pode sem condições de trabalho à defesa da sociedade seu objetivo maior fica cada vez mais distante.

Mesmo temendo represálias alguns soldados expressam em “off” o sentimento e as dificuldades da tropa. Benefícios garantidos por Lei como auxílio transporte e alimentação já são quase inexistentes, na maioria dos casos, até o fardamento têm sido pago do próprio bolso. O policial, lembra um deles “arrisca a vida em defesa do cidadão, deixando de lado a sua própria família, superando desafios para dar uma resposta à sociedade que muitas vezes é injusta e não reconhece“.

Mas é importante ressaltar, diz um outro soldado, que os militares, mesmo diante do descaso do Governo, não vão desistir um compromisso de defender a população que é fundamentado em valores que norteiam a PM desde a sua fundação – 27 de junho de 1834 – como garantir a ordem e a vida do cidadão. O que precisamos, diz o policial, é que a população nos apoie em nossas reivindicações, buscando melhorias e valorização dos militares da PM para o melhor desempenho das funções“.

Por Seridó S/A via Caicó na Rota da Notícia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui